Vice de Witzel, Cláudio Castro, é acusado de receber propina por delator

0
7

Novos indícios na Operação Catarata (Rio) revelaram que houve desvio de recursos de programas sociais do estado e da prefeitura do Rio de Janeiro. No avançar das investigação, o empresário Bruno Campos Salem afirmou ontem (16) que o governador interino do RJ, Cláudio Castro (PSC), recebeu mais de R$ 100 mil em propina do empresário Flávio Chadud, dono da ServLog, empresa apontada como uma das principais beneficiadas no suposto esquema de corrupção.

Como aponta O Globo,

Imagens de câmeras de segurança obtidas pelo canal Globonews e que fazem parte da investigação mostram Castro e Chadud chegando juntos à sede da ServLog, num shopping da Barra, na manhã de 29 de julho de 2019. Era a véspera da primeira etapa da Operação Catarata, que resultou na prisão do empresário e de Selem. A gravação mostra o então vice-governador entrando às 9h26 num elevador com o dono da empresa, que tinha contratos milionários com a Fundação Leão XIII, órgão subordinado, na época, à vice-governadoria do estado.

Segundo relatório da Polícia Civil, há confirmação de que Salem estava na sede da ServLog, chegando após Chadud e Castro. Com a saída de Cláudio Castro às 10h33, é possível vê-lo cumprimentando discretamente Chadud enquanto carrega mochila (potencialmente com propina).