Crivella usou a Igreja Universal para lavar dinheiro da corrupção, apura MP

0
21

Além de toda trama de Crivella nos já expostos esquemas de corrupção no Rio, o Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro (MP-RJ) encontrou indícios de “bilionárias movimentações atípicas” da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) e afirmou ser “verossímil concluir” que a Iurd está sendo “utilizada como instrumento para lavagem de dinheiro fruto da endêmica corrupção instalada na alta cúpula da administração municipal” do Rio.

Vale recordar que o prefeito Marcelo Crivella é bispo licenciado da Iurd, além de suspeito de organizar esquema chamado de “QG da Propina”. Além, Mauro Macedo, primo de Edir Macedo, o fundador da Iurd, foi coordenador de campanhas políticas do atual prefeito do Rio e é citado em delações da Lava Jato como recebedor de Caixa 2. Segundo o Ministério Público, Mauro aliciava empresários para participar dos mais variados tipos de corrupção.

Segundo um Relatório de Inteligência Financeira (RIF) do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), órgão vinculado ao Ministério da Fazenda, apontando que a entidade religiosa “foi objeto de comunicação em razão da identificação de movimentações financeiras de R$ 5.902.134.822,00”, entre o dia 5 de maio de 2018 e 30 de abril de 2019.