Esquiva do impeachment não livra Crivella de CPI

0
10

Por apenas um voto (25 a 23) o pedido de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella foi arquivado na Câmara Municipal do Rio de Janeiro na última quinta-feira (03). A esquiva do prefeito, envolvido no escândalo dos “Guardiões de Crivella” não livra seus atos da instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).

A CPI deverá ser presidida pela vereadora Teresa Bergher (Cidadania), já sinalizando que Crivella será convocado para prestar esclarecimentos. Ainda assim, preocupa que a forte presença da base apoiadora de Crivella na Câmara faça as investigações sobre o esquema criminoso pouco avançarem.

Dentre os partidos que votaram contra a abertura do processo de impeachment para apuração do esquema estão: DEM (Alexandre Isquierdo), Republicanos (Carlos Bolsonaro, Inaldo Silva, João Mendes de Jesus, Leandro Lyra, Tânia Bastos e Zico), Podemos (Dr. Carlos Eduardo), PTC (Dr. Gilberto), Solidariedade (Dr. Jairinho e Fátima da Solidariedade), Progressistas (Felipe Michel, Dr. Jorge Manaia, Marcelino D’Almeida, Marcello Siciliano, Professor Adalmir e Vera Lins), PSC (Dr. João Ricardo e Major Elitusalem), PSD (Eliseu Kessler e Rocal), PROS (Jair da Mendes Gomes), PTB (Marcelo Arar), Patriota (Renato Moura) e Rede Sustentabilidade (Zico Bacana).