ACUSADOS DE MATAR MARIELLE E ANDERSON IRÃO A JÚRI POPULAR

0
7

O PM reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Elcio Queiroz, acusados pela morte da vereadora Marielle Franco e do motorista dela, Anderson Gomes, serão submetidos a júri popular. A decisão, proferida nesta terça (10), é do juiz Gustavo Gomes Kalil, da 4ª Vara Criminal da Capital.

Na decisão, o magistrado explica que a qualificação do homicídio doloso (quando existe a intenção de matar) foi dada porque os réus agiram por motivo torpe, armaram uma emboscada e dificultaram a defesa das vítimas. Ambos estão respondendo por homicídio triplamente qualificado. “No mérito, de início, quanto aos crimes dolosos contra a vida, há provas de materialidade dos dois crimes de homicídio consumado, em detrimento das vítimas fatais Marielle e Anderson”, sentenciou. Os advogados dos réus informaram que vão recorrer.

O juiz também manteve a prisão preventiva dos réus durante o processo. As defesas de Ronnie Lessa e Elcio Queiroz pediram a impronúncia do caso e absolvição sumária, alegando não haver indícios suficientes para apontá-los como autores do crime. 

“O embate entre a tese ministerial (do Ministério Público) e as defensivas deve ser decidido pelo Tribunal Popular”, escreveu o juiz Gustavo Gomes Kalil, que não determinou data para o julgamento.  

Marielle e Anderson foram executados no Estácio, Região Central do Rio, em 14 de março de 2018. No próximo sábado o crime completa dois anos. Ronnie e Élcio estão presos há um ano no presídio federal de segurança máxima de Porto Velho, em Rondônia. A viúva de Marielle, Mônica Benício, classificou a determinação da justiça como um “passo importante” no caso.